Type Design com Fabio Haag 5/5

Com um atraso bem maior do que o esperado (praticamente um mês e meio), posto a última parte da série sobre o curso de Type Design com o Fabio Haag. A última aula aconteceu no dia 04 de junho e foi bem mais leve, sem muita produção. Um dos motivos disso foi que a última hora estava reservada para que todos imprimissem suas fontes e pendurassem na parede para apreciação, além daquela foto tradicional.

Produção tipográfica dos colegas de curso

Produção tipográfica dos colegas de curso...

E a galera toda reunida

... e a galera toda reunida

Em relação à minha fonte, os caracteres que consegui fazer nessa última aula foram B, M, P e R. Para o R, primeiro fiz uma versão mais “normal” (à esquerda na imagem), mas depois tentei fazer algo mais próximo do K na junção do bojo com a perna. Ainda não estou 100% certo que essa é a melhor opção, por isso vou criar versões seguindo essa linha para os caracteres B e P para ver como fica no conjunto. É o caráter “inovador” tentando aparecer mais na fonte.

Comparação dos caracteres P, B, R e K

Comparação dos caracteres P, B, R e K

E, depois de um mês e meio término do curso, é claro que fiz mais alguns caracteres. Na verdade foram vários. Nesse meio tempo terminei as maiúsculas (desenhei os caracteres Q, S, V, W, X, Y e Z), desenhei os algarismos, pontuação básica (bem básica mesmo, ou incompleta, como preferir), e os caracteres acentuados minúsculos.

O Q ainda está bem cru. Por motivos óbvios, ele é baseado na letra O, mas engana-se quem pensa que é uma cópia fiel da letra mencionada. No detalhe da imagem, é visível a compensação ótica necessária em virtude de sua cauda. Além disso, é um dos caracteres do alfabeto que possibilita maior liberdade criativa. A que apresento agora é apenas a minha primeira tentativa de outras que virão.

Diferenças entre os caracteres Q e O

Diferenças entre os caracteres Q e O

Já o S foi desenhado em caráter emergencial. Como a fonte está sendo projetada para fazer parte de um sistema de identidade visual, ela também será aplicada no decodificador da assinatura. Nesse caso, nós precisávamos de todas as letras para compor a palavra “CINEMAS” que acompanha o logotipo. Ela não tem muito mistério, sendo apenas uma versão mais longa do s e com as espessuras dos traços ajustadas às proporções das outras letras maiúsculas.

Teste do caractere S no decodificador CINEMAS

Teste do caractere S no decodificador CINEMAS

Os caracteres V, W, X, Y e Z seguem o mesmo princípio. Foram adaptados a partir das minúsculas, tomando-se o cuidado de manter os mesmos terminais. A maior mudança aconteceu no W, onde a altura do vértice foi reduzida quando avaliada em proporção ao w. Isso aconteceu porque o tamanho que o caractere maiúsculo ocupa na linha possibilita que esse detalhe seja aumentado, sem comprometer a legibilidade.

V, W, X, Y e Z, em comparação com as minúsculas

V, W, X, Y e Z, em comparação com as minúsculas

Agora, os algarismos foram um verdadeiro desafio! Eu nunca havia sequer tentado desenhar números antes, e posso dizer que só consegui desenhá-los porque a Karen Cheng estava sempre ao meu lado. O “detalhe” que eu nunca havia percebido é que o contraste não segue a mesma regra do restante das letras: os traços horizontais dos algarismos são mais pesados que o normal, o que pode pegar algum desavisado de surpresa.

Algarismos

Algarismos

Também desenhei uma parte da pontuação básica apenas para poder usar a fonte em algumas aplicações, mas isso dá bem mais trabalho do que se imagina. Os dois pontos e ponto e vírgula usam os mesmos vetores do ponto e da vírgula, com apenas alguns ajustes na posição. Já o ponto de interrogação foi baseado na letra S, mas demandou vários ajustes para deixar equilibrado. Sobre o restante da pontuação falarei em um post futuro, onde também vou esclarecer algumas confusões com os diferentes tipos de traços. Pretendo também escrever um post falando exclusivamente da acentuação, mas não vou prometer prazos, já que dessa vez as férias vão ser curtas.

Uma parte da pontuação básica

Uma parte da pontuação básica

De minha parte, posso dizer que o curso com o Fabio Haag foi um sucesso total! Acredito que era o que estava faltando para eu começar a desenhar fontes de verdade, com alfabeto completo, algarismos e pontuação, e não só estudos de 7 letras como tinha feito até então. Para todos aqueles que pretendem se aventurar no type design, recomendo muito este curso. Mesmo sendo de curta duração, o Fabio não economiza nas dicas e está sempre disposto a entregar os segredos do ofício!

Até a próxima!

2 ideias sobre “Type Design com Fabio Haag 5/5

    1. Henrique Beier Autor do post

      Olá, Alexandra!
      Realmente, o Spiekermann é o cara! Desde que fiquei sabendo da existência dele passei a admirar mais ainda o seu trabalho, principalmente por estar tão presente em nossas vidas. Como foi o caso da Nokia, que por algum motivo que eu não sabia explicar, sempre gostei muito das fontes que usava em seus celulares até há pouco tempo.
      Sobre o vídeo, posso dizer que me identifico muito com a parte onde ele diz que não saberia fazer uma campanha publicitária, mas dê a ele um formulário pra redesenhar que ele fará em dois dias!
      Muito obrigado pela dica!

Os comentários estão fechados.