Arquivo da categoria: Projetos

Making Faces: Metal Type in the 21st Century

Logo no início do blog eu publiquei que eu tinha alguns projetos interessantes para este ano. Bom, hoje foi o dia em que pude ver um deles começar a tomar forma. Eu disse começar, porque a parte específica em que trabalhei por alguns meses vai ter que esperar mais um pouco ainda.

Estou falando do documentário Making Faces, produzido e dirigido por Richard Kegler, que retrata o processo de criação de uma fonte, tanto em formato digital quanto em metal, por Jim Rimmer. Esse filme foi um projeto que contou com a colaboração [massiva] no Kickstarter, atingindo 400% da meta inicial! E, depois de aguardar quase um ano, meu DVD chegou hoje, junto com um livreto da fonte Stern, um livreto da Rimmer Type Foundry e uma linda letrinha k em metal!

Um tipo móvel em metal da letra k da fonte Stern, brinde do DVD Making Faces.

Um tipo móvel em metal da letra k da fonte Stern, brinde do DVD Making Faces.

O filme documenta o processo de criação da fonte Stern tanto em formato digital quanto em metal. Enquanto que fontes digitais estão cada vez mais acessíveis para que qualquer pessoa com um computador as crie, as fontes em metal necessitam de um conhecimento técnico e um ferramental muito mais específico, como o documentário demonstra. E o filme em si é muito bom! É tudo muito claro e educativo. Como alguém que não conhecia o método pantográfico de confecção de tipos de metal, posso dizer que consegui ter uma ideia geral do processo muito facilmente.

O DVD do documentário Making Faces e o livreto da Rimmer Type Foundry com todos os tipos digitais criados por Jim Rimmer.

O DVD do documentário Making Faces e o livreto da Rimmer Type Foundry com todos os tipos digitais criados por Jim Rimmer

Apesar de já ter assistido o documentário antes, o DVD veio com vários extras que eu ainda não tinha visto. Um deles é o raro filme mudo The Creation of a Printing Type from the Design to The Print by Frederic W. Goudy, dirigido por Maurice Kellerman nos anos 1930s. É um documentário mudo de 10 minutos que demonstra todo o processo de criação de uma fonte em metal por Frederic Goudy, cujo método Rimmer adaptou. Em outra cena extra, Rimmer mostra como impressionar as mulheres mergulhando o dedo no metal derretido. Cativante!

Para quem se interessou, o DVD está à venda no site da P22 por 24,95 dólares. Mas eu recomendo que aguarde um pouco, pois a versão legendada deve sair ainda este ano!

Justificando

Escrevo este rápido post apenas para justificar a minha ausência nas últimas semanas. Nesse tempo, estive trabalhando em vários projetos, sendo um deles o que eu já havia comentado a respeito aqui no blog.

Mas outro projeto também está me tomando bastante tempo, que é o redesenho deste blog/portfólio. Na verdade, não vejo problema algum com o leiaute atual do blog, mesmo sendo o padrão WordPress. O problema é que estou atualmente sem portfólio, e como eu preciso desenhar alguma coisa pra ele, optei por fazer um redesenho mais abrangente e usar o mesmo leiaute nos dois. Quero que o blog complemente o portfólio e vice-versa, mas sem misturá-los.

Não vou prometer prazos, já que é a primeira vez que desenho um template para WordPress, mas vou tentar não deixar o blog abandonado nesse meio tempo.

Até mais!

Uma fonte séria

Depois de alguns dias de uso do TypeTool, que comprei recentemente, continuei a desenhar a fonte que comecei em janeiro do ano passado. Depois de desenhar boa parte dela, descobri que ela precisaria de alguns ajustes nas métricas verticais (as várias alturas características de uma fonte, como a altura-x, altura de versal, etc. que explicarei melhor no futuro). Sendo assim, resolvi redesenhá-la por completo para garantir um resultado melhor.

A ideia é desenhar uma fonte com serifas que seja adequada para a composição de textos longos e, claro, de leitura confortável. Ela tem uma certa inspiração nos tipos neoclássicos, principalmente pelo eixo vertical dos traços, mas tomei a liberdade de incluir alguns detalhes de outros estilos. O objetivo dessa fonte não é ser fiel a qualquer período histórico, mas sim uma experimentação pessoal sobre o processo de desenho de uma família tipográfica.

E esta é outra função que planejei para este blog. Quero escrever aqui regularmente sobre o progresso da minha fonte. É a maneira que encontrei para me motivar a desenhar cada vez mais. Afinal, a partir do momento em que eu publico, vira compromisso.

2011 mal começou…

Não tem nada muito confirmado ainda, mas estou com alguns projetos para 2011 que estão me motivando pra valer. Infelizmente não posso divulgar detalhes agora, visto que posso dar com a língua nos dentes. Mas o que posso adiantar é que é relacionado à tipografia, como já era de se esperar.

Acredito que poderei divulgar as boas novas dentro de um ou dois meses!